Archive for the ‘Paranaense 2012’ Category

Coritiba 0x0 (5×4): 2º jogo da final do Campeonato Paranaense 2012

Anular Guerrón foi o principal objetivo?

Foto de Albari Rosa para a Gazeta do Povo.

Empate sem gols e decisão por pênaltis, que valeram o tricampeonato.

Sobre o título, comento no próximo post.

Agora o jogo.

O Coritiba jogou pouco no primeiro tempo. Anderson Aquino seguiu com a série de atuações fracas, que não justificam mais sua escalação como titular faz um bom tempo. Rafinha entrou no sacrifício, longe de estar em condições físicas. E foi mais uma vez apagado em atletibas.

Tcheco, em sua despedida de campeonatos paranaenses e no último atletiba da carreira, nem chegou a jogar quase nada. Saiu no início, contundido e muito irritado.

Sobrava o protagonismo para os demais jogadores, que demoraram a se encontrar em campo.

O primeiro tempo foi todo do Atlético, e o Coritiba se dedicou principalmente a evitar algum lance decisivo de Guerrón. Junior Urso, Lucas Mendes e Emerson foram vigilantes, atentos e rápidos nos desarmes. A principal arma atleticana ficou anulada.

Somente no segundo tempo o Coritiba tomou as ações do jogo. Com Everton Costa no lugar de Anderson Aquino a linha de frente ganhou qualidade e velocidade. Com a entrada de Lincoln no lugar de Rafinha nova melhora.

Mas nada disso foi suficiente para resolver o jogo. Gil foi o mais acionado, pela lateral direita.

E se o Coritiba controlou a bola e dominou as ações, não chegou ao gol adversário nenhuma vez.

Na decisão por pênaltis, o erro de Guerrón deu o título ao Coritiba.

Numa avaliação geral: ótima atuação da retaguarda Coxa, com atuação segura de Emerson, Demerson, Gil, Lucas Mendes, Urso e Djair. Este último, que entrou no lugar de Tcheco, mostrou que tem qualidade para ser titular sempre que necessário.

Marcelo Oliveira mostrou mais uma vez que é um treinador tímido para decisões. Mesmo quando o Coritiba controlava o jogo e o Atlético não oferecia perigo, não quis sacar um dos volantes para colocar o time mais à frente. Preferiu arriscar a decisão por pênaltis que arriscar perder o jogo em um contra-ataque atleticano.

De qualquer forma, o resultado foi justo, pelo que foi o campeonato e pelo que foi o jogo.

Agora, é bom comemorar, mas não muito. Que quarta-feira tem jogo importante contra o Vitória.

Veja também o primeiro jogo da final aqui no blog, e as campanhas do primeiro e segundo turnos:

Atlético 2×2 Coritiba: 1º jogo da final do Campeonato Paranaense 2012

A campanha do Coritiba no 2º turno do Campeonato Paranaense 2012

A campanha do Coritiba no 1º turno do Campeonato Paranaense 2012

Anúncios

Atlético 2×2 Coritiba: 1º jogo da final do Campeonato Paranaense 2012

Decisivo mais uma vez: Everton Ribeiro comemora o primeiro gol do jogo

A foto é do sítio do Coritiba.

O Coritiba entrou em campo com: Vanderlei; Gil, Demerson, Emerson e Lucas Mendes; Júnior Urso, Djair, Tcheco e Éverton Ribeiro; Lincoln e Roberto.

Realmente uma ótima escalação, pois a dupla de volantes (Urso e Djair) segurava o jogo adversário, liberando Tcheco para atuar mais como armador. Lincoln ganhava posição ao voltar do Departamento Médico (coisa que não aconteceu com Rafinha). Everton Ribeiro foi mantido no time, e saiu Anderson Aquino, realmente o que vinha jogando pior na linha de frente do Coritiba.

Eu imaginei que esta escalação colocava o Coritiba bem postado e seguro na defesa, jogando com velocidade e toque de bola no contra-ataque. Mas não foi esse o retrato do jogo.

O Atlético jogou muito mais atrás, e o Coritiba dominou as ações no primeiro tempo. Jogando mais com a bola, e no seu campo de ataque, o Coritiba não conseguia chegar ao gol. Bem postado, o Atlético saía em contra-ataques rápidos, e sempre levou perigo. Mas o cenário do jogo mudou após jogada individual e chute rasteiro de Everton Ribeiro. Era com o pé direito, que não é o bom, mas mesmo assim o goleiro Vinícius deixou passar.

Poucos minutos depois, o Atlético chegou ao empate num bate-rebate, igualando as ações.

Na volta para o segundo tempo, o Atlético veio mais bem organizado e tomou conta do jogo. O Coritiba trocava passes na entrada da área adversária, mas quase nunca chegava a criar condições de finalizar. Vale dizer que o gol do primeiro tempo saiu na única finalização certeira do Coritiba, enquanto o Atlético chegou diversas vezes com perigo, dando bastante trabalho a Vanderlei, que fez diversas defesas difíceis.

No segundo tempo, o Atlético fez seu gol logo no início, após um chute de fora da área que Vanderlei não conseguiu segurar. Martin Ligüera, o melhor rubro-negro em campo, aproveitou o rebote para fazer 2×1.

Com isso, estava desenhado um cenário difícil para o Coritiba. Carrasco recuou o time tirando dois homens de frente para colocar volantes. Com a vitória do Atlético, o Coritiba não podia mais ser campeão no tempo regulamentar do segundo jogo. É que o regulamento da Federação Paranaense não prevê saldo de gols. Ou seja, com uma derrota no primeiro jogo, o Coritiba teria que vencer o segundo jogo, não importando por qual placar, para levar a uma decisão por pênaltis.

Com esse regulamento em mente, Marcelo Oliveira percebeu que perdido por um ou perdido por dez não fazia mais diferença. Sacou os dois volantes, Djair e Urso, para colocar dois atacantes – Anderson Aquino e Marcel. Também trocou Lincoln por Renan Oliveira, pois o camisa 10 jogou muito bem no primeiro tempo, mas estava anulado no segundo.

As modificações deram resultado: Marcel é um jogador muito importante para se postar em meio a defesas retrancadas, por que ele é atacante de presença na área, e não de chegar em velocidade como Aquino e Roberto. Nas poucas vezes em que pegou na bola, ele mostrou que era o jogador certo para aquele cenário (e aliás, merece jogar mais, aproveitando a má fase de Aquino).

Mas quem foi decisivo mesmo foi o zagueiro Emerson. Foi dele a jogada no meio campo, subindo ao ataque. Marcel disputou a jogada após a bola quase ser perdida por Emerson. Voltando a ter a bola perto de si, o zagueiro tocou para Anderson Aquino, que colocou para dentro, no canto do goleiro Vinícius.

Um empate justo pelo que foi o jogo, com um Coritiba com mais domínio da bola, mas com o Atlético atacando de forma incisiva. Quando recuou o time para segurar o resultado favorável, o Atlético abriu espaço para o Coritiba igualar.

Agora, quem vencer o segundo jogo no Couto Pereira leva o título. Se der empate, a decisão irá para pênaltis.

A campanha do Coritiba no 2º turno do Campeonato Paranaense 2012

Coritiba 1×0 Toledo: 1ª rodada do segundo turno do Campeonato Paranaense 2012

gol pelo Coritiba: Marcel

.

 

Corinthians PR 1×2 Coritiba: 2ª rodada do segundo turno do Campeonato Paranaense 2012

gols pelo Coritiba: Pereira e Emerson

.

Iraty 1×5 Coritiba: 3ª rodada do segundo turno do Campeonato Paranaense 2012

gols pelo Coritiba: Lincoln (3), Emerson e Júnior Urso

.

 

Coritiba 3×1 Paranavaí: 4ª rodada do segundo turno do Campeonato Paranaense 2012

gols pelo Coritiba: Anderson Aquino, Lincoln e Emerson

.

Arapongas 2×0 Coritiba: 5ª rodada do segundo turno do Campeonato Paranaense 2012

 

.

 

Coritiba 1×0 Londrina: 6ª rodada do segundo turno do Campeonato Paranaense 2012

gol do Coritiba: Roberto

.

 

Rio Branco 1×2 Coritiba: 7ª rodada do segundo turno do Campeonato Paranaense 2012

Gols do Coritiba: Emerson e Demerson

.

Coritiba 3×1 Cianorte: 8ª rodada do segundo turno do Campeonato Paranaense 2012

Gols do Coritiba: Emerson, Roberto e Everton Ribeiro

.

 

Operário 2×2 Coritiba: 9ª rodada do Campeonato Paranaense 2012

Gols do Coritiba: Roberto e Everton Ribeiro

.

 

Coritiba 4×2 Atlético: 10ª rodada do segundo turno do Campeonato Paranaense 2012

Gols do Coritiba: Everton Ribeiro, Lincoln, Roberto e Renan Oliveira

.

Roma 1×3 Coritiba: 11ª rodada do Campeonato Paranaense 2012

Gols do Coritiba: Rafael Silva, Caio Vinícius e Renan Oliveira

.

 

Veja também:

A campanha do Coritiba no 1º turno do Campeonato Paranaense 2012

Roma 1×3 Coritiba: 11ª rodada do Campeonato Paranaense 2012

Rafael Silva marcando o primeiro gol do Coritiba na partida

Foto do sítio do Coritiba.

Eu não vi o jogo. Só sei que o Coritiba já tinha garantido a vitória no segundo turno e a melhor campanha no estadual por antecedência, e pode dar folga para o técnico Marcelo Oliveira e todos os titulares.

Levou um time de reservas e garotos recem promovidos da base, dando oportunidade para alguns jogarem no profissional e serem avaliados pelo auxiliar técnino Tico.

O Coritiba foi superior assim mesmo, mostrando que tem elenco para disputar uma temporada longa como a desse ano, em que pode chegar a disputar 80 partidas. Até o momento, já disputou 22 pelo estadual e 5 pela Copa do Brasil. Ainda terá pela frente o Brasileirão (38 partidas) e a Copa Sul Americana, cuja quantidade de jogos depende de até onde o time irá avançar, valendo o mesmo para a Copa do Brasil.

No jogo de hoje contra o Roma, os gols do Coritiba foram marcados por Rafael Silva, Caio Vinícius (que entrou no segundo tempo no lugar de Marcel) e Renan Oliveira.

Estrearam em jogos profissionais pelo Coxa: Zé Rafael, 18 anos, que entrou no segundo tempo no lugar de Rafael Silva, e Tiago Primão, 19 anos, que entrou no lugar de Emerson Santos.

Além dos dois piás, que foram campeões da Dallas Cup com o Coritiba sub-19, outros jovens entraram pela primeira vez como titulares desde o início do jogo: Lucas Claro e Djair (que na verdade já jogaram algumas vezes), zagueiro e volante; Vinícius, meia que foi improvisado na lateral direita; Diego, zagueiro; Artur, volante; Emerson Santos, meia. E Rafael Silva, que já arrebentou no jogo contra o Paysandu.

Então é isso. Fim da fase de pontos corridos, vamos aos dois jogos da final com o Atlético. Vale lembrar que o regulamento manda que não haja cômputo de saldo de gols nos jogos da final. Ou seja, se o Coritiba perder de 1×0 no jogo de mando do Atlético (será na Vila Capanema?), e ganhar de, digamos, 8×0 no jogo do Couto Pereira, mesmo assim o título é decidido em cobrança de pênaltis. Ou seja – o Coritiba tem que jogar o primeiro jogo por vitória ou empate, se não quiser ter que decidir nos pênaltis em casa.

Essa Federação Paranaense, sempre procurando fazer o regulamento mais ridículo que se possa imaginar…

Este blog ainda vai fazer o levantamento do desempenho do Coritiba na fase de pontos, mas já vale adiantar a classificação geral (somatório dos dois turnos):

pontos vitórias empates derrotas gols marcados gols sofridos saldo
Coritiba 53 16 5 1 54 19 35
Atlético 49 15 4 3 52 15 37
Arapongas 38 12 2 8 32 29 3
Cianorte 38 10 8 4 31 19 12
Londrina 30 8 6 8 29 18 11
Operário 30 8 6 8 34 35 -1

.

 

Coritiba 4×2 Atlético: 10ª rodada do segundo turno do Campeonato Paranaense 2012

Everton Ribeiro, provando que mereceu a vaga no time titular

A foto é de Albari Rosa, para a Gazeta do Povo, no momento exato do primeiro gol do jogo.

O Coritiba parece que encontrou a linha de frente ideal: Rafinha, Everton Ribeiro (jogando desse jeito), Roberto e Anderson Aquino.

Foi um grande jogo, que sagrou o Coritiba campeão antecipado do segundo turno, e já garantiu antecipadamente o Coritiba como time de melhor campanha do estadual. Ainda falta o último jogo, mas o Coritiba já somou 15 vitórias, 5 empates e 1 derrota: 50 pontos que o deixam 4 à frente do Atlético. Além disso, o Coritiba fez 51 gols e levou 18.

Eu não vi o jogo, porque estava no aniversário do meu filho.

Então, fica aqui o link com os detalhes da partida no sítio do Coritiba.

E mais o vídeo do Sportv com os melhores momentos.

Agora o Coritiba irá disputar a final do Campeonato contra o Atlético. A última vez que isso aconteceu foi em 2008, com o título ficando com o Coritiba. Depois foram três anos de campeonato sem final.

E o Coritiba vai em busca do tri-campeonato. A última vez em que o Coritiba ganhou três estaduais seguidos foi na década de 1970 (o hexa campeonato 1971-76).

Veja os últimos jogos do Coritiba:

Operário 2×2 Coritiba: 9ª rodada do Campeonato Paranaense 2012

Coritiba 3×0 Asa: segunda fase da Copa do Brasil 2012

Operário 2×2 Coritiba: 9ª rodada do Campeonato Paranaense 2012

Everton Ribeiro comemorando o golaço que anotou de fora da área

Foto do sítio do Coritiba.

O jogo vai ficar para a história como um dos mais francos, com muitos gols perdidos dos dois lados. Também deve ter sido o jogo dos gols mais bonitos deste paranaense.

Do lado do Operário, o primeiro gol de Baiano, numa belíssima bicicleta após a cobrança de escanteio escorada de cabeça.

Do lado do Coritiba, o segundo gol, anotado por Everton Ribeiro em belíssimo chute no ângulo, disparado de fora da área sem deixar a bola cair no chão.

O jogo começou com um gol de Roberto para o Coritiba, após rebote do goleiro no chute de Eltinho. O Fantasma empatou pouco depois, e virou com gol de pênalti, cometido por Júnior Urso sobre Baiano.

Interessante que o Coritiba pressionava, mesmo com 1×0, perdia gols e parecia que ia somar uma goleada. Mas o Operário mostrou que tem camisa, e reagiu com brilhantismo. O Coritiba chegou ao empate no segundo tempo, e talvez o placar mais justo para o jogo fosse um 5×5, pela quantidade de jogadas efetivas que ambos os times produziram.

O Coritiba foi muito bem na frente, com a linha formada por Rafinha, Roberto e Anderson Aquino. Um ataque de muita velocidade e toque de bola. Isso ficou ainda mais forte com a entrada de Everton Ribeiro no segundo tempo.

O goleiro do Operário fez muitas defesas bem difíceis. Mas o Fantasma esteve longe de ser um time que se segurava na defesa. Atacou muito, perdendo no mínimo um gol completamente feito, quando Ceará driblou o goleiro Vanderlei e chutou para fora com o gol vazio.

Com o empate, segue o tabu de 21 anos sem vitória do Operário sobre o Coritiba.

O Coritiba continua liderando o campeonato, e foi a 22 pontos. Pode sair com o título do turno já no atletiba da próxima rodada.

Sobretudo, continuo achando muito importante a capacidade que o Coritiba vem demonstrando de variar jogadas e jogadores. A volta de Rafinha, muito bem vinda, acompanhou a saída de Wiliam e Lincoln. Marcel entrou no segundo tempo, fazendo a gente pensar como é bom ter um atacante de área às vezes – apesar de não ter feito nenhum gol, sua presença sempre levava perigo.

O lado triste ficou por conta das contusões de Gil (que estava sendo atendido quando o Coritiba tomou o primeiro gol) e de Jackson – que infelizmente parece ser uma ruptura de ligamentos, daquelas que deixa o jogador muitos meses afastado.

O destaque negativo ficou para Anderson Aquino, que não jogou mal, e apareceu muito no ataque. Mas bateu todos os recordes de gols perdidos em um jogo.

Veja os últimos jogos do Coritiba comentados aqui no blog:

Coritiba 3×0 Asa: segunda fase da Copa do Brasil 2012

Coritiba 3×1 Cianorte: 8ª rodada do segundo turno do Campeonato Paranaense 2012

Coritiba 3×1 Cianorte: 8ª rodada do segundo turno do Campeonato Paranaense 2012

Emerson comemora o gol após escanteio cobrado por Tcheco

Foto do sítio do Coritiba.

O Coritiba venceu mais uma, e mantém a liderança isolada do segundo turno.

O primeiro gol resultou de escanteio cobrado por Tcheco, com cabeceio de Emerson, o zagueirão.

O segundo gol veio de falta cobrada por Tcheco, com gol que o árbitro anotou para Roberto, por ter talvez resvalado na bola.

O último gol foi de Everton Ribeiro, que confirmou que sempre entra fazendo a diferença.

Não vi o jogo, apenas ouvi no rádio uns trechos do segundo tempo. Segundo informações, as duas expulsões do Cianorte (ambas por segundo cartão amarelo) foram um pouco de preciosismo do árbitro, e ajudaram a selar a sorte da partida.

Os destaques do Coritiba parecem ter sido Tcheco e Rafinha que começa a voltar de contusão. Marcelo Oliveira novamente fez todas as substituições a que tinha direito, e colocou um time muito ofensivo, especialmente no segundo tempo, quando Marcel entrou no lugar de Gil, Rafael Santos no lugar de Anderson Aquino e Everton Ribeiro no lugar de Eltinho.

Veja o vídeo com os gols.

Agora o Coritiba está com folga na tabela, pois o Londrina perdeu em casa e o Atlético empatou com o Corinthians PR.

pontos vitórias saldo gols
Coritiba 21 7 10 17
Atlético 17 5 13 18
Londrina 16 5 13 16
Operário 16 5 4 11
Arapongas 15 5 -1 9

.

Tudo indica que o Coritiba vai ser o campeão do turno (provavelmente jogará o Atletiba da penúltima rodada precisando apenas de um empate no Couto Pereira). E irá para a final do campeonato contra o Atlético, provavelmente jogando o segundo jogo em casa.

Tri-campeonato à vista?

Caso isso aconteça, será a primeira vez que o Coritiba ganha três estaduais seguidos desde a década de 1970.

%d blogueiros gostam disto: