Archive for the ‘Campeonato Brasileiro 2012’ Category

Coritiba 2×1 Grêmio: 13ª rodada do Campeonato Brasileiro 2012

Marcelo Grohe não pode segurar o canhão de Ayrton

Foto do sítio do Coritiba.

Este foi o primeiro de uma série de jogos que o Coritiba terá contra os times mais bem posicionados na tabela. A parte teoricamente mais fácil do 1º turno já passou, e o Coritiba foi muito mal porque disputava simultaneamente a Copa do Brasil. Em 12 jogos foram 3 vitórias, 3 empates e 6 derrotas – duas delas no Couto Pereira.

Vencer o Grêmio em casa era uma questão absolutamente necessária. Antes do início da rodada o tricolor gaúcho vinha em 4º lugar na tabela, atrás apenas de Atlético MG, Vasco e Fluminense (próximos adversários do Coritiba).

Para tentar esta façanha, Marcelo Oliveira escalou o seguinte escrete: Vanderlei; Ayrton, Pereira, Emerson e Lucas Mendes; Wiliam, Sérgio Manoel, Lincoln e Robinho; Everton Costa e Leonardo.

Leonardo entrou pela 3ª vez em campo no Brasileirão – a 2ª como titular e a 1ª vez a fazer um jogo inteiro na temporada. Ele tinha ficado 3 meses emprestado para um clube chinês (o mesmo que comprou Davi e que está tentando comprar Rafinha). A boa atuação de Leonardo nestes jogos (fez dois gols na vitória contra o Náutico no meio de semana) nos leva a pensar porque a diretoria concordou em emprestar o jogador num período tão crucial, sendo que o principal problema do Coritiba neste ano vinha sendo a falta de um camisa 9 de ofício.

A escalação de Robinho me parece a única aposta não justificável de Marcelo Oliveira. Na posição dele o Coritiba tem outros jogadores que vinham jogando bem, e ele não jogou para merecer ser titular.

No mais, a escalação do Coritiba se mostrou eficiente. E a preparação tática desenvolvida por Marcelo Oliveira foi fundamental.

O Coritiba jogou marcando no campo todo. Nenhum jogador do Grêmio tinha liberdade para receber a bola e jogar com ela no pé. Atenção especial de marcação foi dada a Elano e Zé Roberto, dois grandes jogadores que fazem o meio campo do Grêmio ser um dos melhores do Brasil na atualidade.

Sem espaço para criação de seus dois principais articuladores, o Grêmio passou todo o primeiro tempo sem conseguir jogar. O Coritiba dominou a posse de bola, mas também não teve chances muito efetivas de chegar ao gol.

Ainda no primeiro tempo Marcelo Oliveira precisou substituir Sérgio Manoel, que se contundiu sozinho, por Chico.

No intervalo Vanderlei Luxemburgo fez alterações significativas no Grêmio. Sacou os dois jogadores que estavam muito marcados – Elano e Zé Roberto, e colocou dois outros jogadores para escapar da marcação do Coritiba.

A alteração surtiu efeito, pois desmontou a excelente marcação que o Coritiba vinha fazendo, e colocou o Grêmio no jogo, tornando tudo mais aberto.

Percebendo que o Coritiba ficou em desvantagem tática, Marcelo Oliveira fez duas alterações no segundo tempo: tirou Everton Costa para a entrada de Roberto e colocou Everton Ribeiro no lugar de Robinho. A substituição de Robinho foi inócua, mas Roberto deu nova dinâmica à linha de frente do Coritiba.

Tanto que levou ao primeiro gol. Em uma das várias faltas que o Grêmio cometeu na entrada da área, Ayrton cobrou com perfeição, quase no ângulo de Marcelo Grohe.

Mas quando parecia que o jogo se ajeitava para o Coritiba, o Grêmio empatou praticamente em seguida, após uma cobrança de falta em que a bola foi alçada na área, e encontrou André Lima livre para cabecear sem nem precisar sair do chão. A única falha de marcação do Coritiba em todo o jogo.

O jogo seguiu equilibrado, mas o Coritiba ainda conseguiu marcar o segundo gol nos minutos finais, num chute de Leonardo da entrada da área. Faria o terceiro, não fosse o juiz ter encerrado o jogo no exato momento em que Roberto recebia livre um lançamento em contra-ataque, para encarar sozinho o goleiro do Grêmio.

Agora o Coritiba tem mais dois compromissos diante do Grêmio na sequência, pela Copa Sul Americana. Pelo que foi o jogo de ontem, dá pra ver que serão dois grandes jogos, muito equilibrados. Se passar pelo Grêmio, o Coritiba tem direito de sonhar com seu primeiro título internacional.

Veja aqui o vídeo dos melhores momentos do jogo.

P.S. O blogueiro pede desculpas: o blog esteve inativo durante todo o mês de julho. Por motivo de viagem, a conexão com a internet esteve precária, mas pior ainda foi ficar sem o PFC. De modo que só assisti os jogos contra o Palmeiras pela final da Copa do Brasil. E não escrevi nenhuma crônica aqui desde a fatídica derrota para o Sport no Couto Pereira na 7ª rodada. Doravante o blog retoma a rotina normal, com as crônicas de todos os jogos, e, se possível, publicará as crônicas atrasadas.

Anúncios

Coritiba 2×3 Sport: 7ª rodada do Campeonato Brasileiro 2012

Aquino marcando seu primeiro gol no Brasileirão

A foto veio do sítio do Coritiba.

O Coritiba entrou com os reservas contra o Sport, para poupar os jogadores que vão enfrentar o Palmeiras na final da Copa do Brasil, quinta feira.

A escalação inicial: Victor Brasil; Jonas, Demerson, Lucas Claro e Chico; França, Sérgio Manoel, Tcheco e Lincoln; Anderson Aquino e Marcel.

Eu disse reservas?

Reservas por mera conjutura. Todos jogadores que já foram titulares muitas vezes, e que poderiam ser titulares em quase todos os times do Brasil. O único inexperiente em jogos profissionais era o goleiro Victor Brasil, que estreou no time principal do Coritiba. Além do goleiro novato, uma dupla de zaga sem entrosamento, e temos a explicação para os erros de marcação que resultaram nos três gols do Sport.

Ou poderíamos dizer que Marquinhos Gabriel desequilibrou, seja dando passe para dois gols, seja marcando um dos gols que deram a vitória ao Leão.

Ou talvez devamos atribuir a derrota aos muitos gols perdidos. Primeiro um chute com a perna errada de Lincoln, que perdeu a primeira chance clara do terceiro gol. Depois, os chutes na trave de Geraldo e de Robinho no segundo tempo. Azar do Coritiba, que não conseguiu fazer entrar no gol algumas bolas decisivas. Sorte do Sport, que fez o gol da vitória com a bola batendo na trave, depois no zagueiro do Coritiba e depois entrando…

O Coritiba começou forte, abrindo 2×0 em poucos minutos. Parecia que ia ser uma vitória fácil, mas a história do jogo foi bem outra.

Primeiro Anderson Aquino teve que sair, sentido dores no ombro. Entrada de Geraldo em seu lugar. Depois foi Marcel que esticou demais a perna para matar uma bola alta – me parece que teve um estiramento. Saiu para a entrada de Rafael Silva, que teve de novo uma ótima atuação.

Depois do gol de empate do Sport, uma mudança tática de Marcelo Oliveira: saiu o volante França para a entrada do meia Robinho.

O destaque do Coritiba foi Tcheco: deu um show de passes perfeitos e grandes lançamentos. No primeiro gol uma bola com açúcar para Anderson Aquino tirar o goleiro e fazer o gol da foto acima. No segundo gol Tcheco deu outro grande lançamento para Lincoln, e ainda correu para pegar a bola no segundo pau após o cruzamento, e escorar para dentro. Um craque que vai deixar muita saudade quando se aposentar este mês.

Veja o vídeo com os melhores momentos da partida.

Com o segundo gol no campeonato, Tcheco está como artilheiro do time, ao lado de Lincoln. Ambos tem dois gols. Com a grande atuação no jogo, Tcheco deixou claro para Marcelo Oliveira que pode ser decisivo contra o Palmeiras – está à disposição, e em um grande momento.

Até agora 10 jogadores já marcaram gols pelo Coritiba neste Brasileirão, somando 12 gols para o clube.

No Brasileirão, mais um começo sofrível. Quarta derrota no torneio, segunda em casa. O Coritiba ocupa a 13ª posição na tabela, com 7 pontos, e tem uma das quatro piores defesas, com 13 gols sofridos. Ao menos o ataque também está entre os 5 melhores.

O negócio agora é o foco no Palmeiras. O Coritiba está maduro para seu primeiro título da Copa do Brasil!

Veja os últimos jogos pelo Brasileirão:

Coritiba 2×0 Portuguesa: 3ª rodada do Campeonato Brasileiro 2012

Flamengo 3×1 Coritiba: 4ª rodada do Campeonato Brasileiro 2012

Coritiba 3×0 Atlético-GO: 5ª rodada do Campeonato Brasileiro 2012

Santos 2×2 Coritiba: 6ª rodada do Campeonato Brasileiro 2012

 

Santos 2×2 Coritiba: 6ª rodada do Campeonato Brasileiro 2012

O primeiro gol do Santos, com falta não marcada

A foto é de Rogério Soares, para a Tribuna de Santos (via Gazeta do Povo)

Dos jogos das 18:30 deste domingo, o Coritiba foi o único visitante que não venceu. Mas isso pode ser creditado principalmente à arbitragem, que errou ao anular um gol de Pereira aos 43 minutos do segundo tempo. Após bela jogada do zagueiro Emerson (é isso mesmo, os dois zagueiros fazendo a festa na área do Santos) pelo lado direito do campo, um passe para trás, o cruzamento de Robinho e a cabeçada de Pereira, que vinha de trás e não estava impedido. Validado o gol, não haveria tempo para uma reação, e o placar seria mais justo pelo que foi o jogo.

O Coritiba foi mais consistente que o Santos, que chegou com perigo em jogadas brilhantes de Neymar ou na competência de Elano, mas não teve tanto espaço para criar jogadas. O Coritiba marcava bem, ficava com a bola a maior parte do tempo, e tinha Vanderlei em dia particularmente inspirado. Pelo menos duas grandes defesas do nosso goleiro garantiram que o Coritiba não voltou com derrota da baixada santista.

O Coritiba entrou em campo com o seguinte escrete: Vanderlei; Jonas, Pereira, Emerson e Chico; Wiliam, Sérgio Manoel, Everton Ribeiro e Rafinha; Roberto e Everton Costa.

Os dois laterais – Ayrton e Lucas Mendes, ganharam folga após o duro trabalho na marcação de Lucas, no jogo de quarta-feira. Jonas jogou e manteve a qualidade, afinal, o Coritiba tem dois grandes titulares para a camisa 2. A surpresa foi o grande desempenho do volante Chico pelo outro lado, que já virou opção para Marcelo Oliveira quando quer segurança defensiva por aquele lado. Porque o natural seria Eltinho envergar a nº 6, mas ele deixa sempre um buraco terrível na defesa.

Roberto, que foi decisivo contra o São Paulo, devia ter ganhado folga junto com os laterais, porque não jogou nada hoje. Acabou saindo para a entrada do meia Robinho no segundo tempo. Everton Ribeiro, apesar ter jogado muito bem, saiu para a entrada de Lincoln – uma alteração que serve para cadenciar o jogo e dar um pouco de descanso para o homem de maior quilometragem pelo Coritiba em 2012.

Outra substituição que parece ter sido por motivo de fôlego foi para a entrada de Junior Urso no lugar de Sérgio Manoel. Junior Urso já foi muito criticado no campeonato paranaense, quando teve de atuar muitas vezes como primeiro volante enquanto Wiliam esteve machucado. As atuações recentes de Urso vem mostrando que o problema era a falta do titular da camisa 5. Quando Wiliam joga na frente da zaga Urso tem mais liberdade um pouco à frente, e apresenta ótimo futebol.

Everton Costa fez hoje um de seus melhores jogos, apesar de não ter anotado nenhum gol.

Mas o nome do jogo foi certamente Rafinha. Ele mostrou porque continua sendo um dos principais jogadores do elenco. Fez o primeiro gol após ótima jogada de Everton Ribeito, mas numa categoria de finalização que, fosse outro no lugar, a bola não estaria na rede. Depois foi decisivo no segundo gol, partindo para cima de Maranhão, o lateral direito santista, e levando um chute no joelho, que o árbitro assinalou como falta dentro da área. Pênalti cobrado e convertido por Lincoln.

Outro detalhe a ser posto na conta da arbitragem: Edu Dracena fez o primeiro gol do Santos com falta sobre Emerson. O zagueiro santista apoiou-se com as duas mãos nas costas do defensor Coxa, que caiu no chão, mas o árbitro não marcou.

Aliás, a arbitragem foi o ponto fraco do jogo, errando em vários lances decisivos, e deixando de anotar muitas faltas de ambos os lados. Ou marcando faltas inexistentes, acreditando na catimba de Neymar, um jogador capaz de cair quando tem alguém a um metro de distância dele. Vai ver que é por isso que nosso grande craque não consegue jogar nada em torneios internacionais – não tem árbitros que vão tão fácil na sua conversa.

O resultado não foi ruim para o Coritiba, mas em vista do que foi o jogo, o empate foi um resultado injusto, e os pontos perdidos assim fazem muita falta no final. O Coritiba somou seu primeiro ponto fora de casa, mas continua sem vencer como visitante. Se quiser alguma coisa neste brasileirão, vai precisar começar a trazer 3 pontos quando sai do Couto Pereira.

Veja aqui o vídeo com os melhores momentos do jogo.

Coritiba 3×0 Atlético-GO: 5ª rodada do Campeonato Brasileiro 2012

Rafinha voltando a jogar depois de contusão

Foto de Antonio Costa para a Gazeta do Povo.

O Atlético-GO não era um adversário difícil, e os 3 pontos em casa deveriam ser o resultado normal. Mas assumem importância maior se pensarmos que o Coritiba perdeu em casa para o Dragão na primeira rodada do Brasileirão 2011 – pontos que fizeram falta no final. Ano passado a segunda vitória no Campeonato veio só na 7ª rodada.

Outro fator foi a oportunidade de aproveitar jogadores que não vinham atuando, pois Marcelo Oliveira escalou um time “reserva”.

Parece até piada dizer que são reservas jogadores como Jonas, Pereira, Eltinho, Junior Urso, Tcheco, Rafinha ou Marcel. Todos já foram titulares por muito tempo. Mas o fato é que do time que entrou em campo, só Vanderlei e Lincoln tinham começado contra o São Paulo.

Os 11 que começaram: Vanderlei; Jonas, Lucas Claro, Pereira e Eltinho; Junior Urso, Tcheco, Chico e Rafinha; Lincoln e Marcel. Entraram no decorrer da partida: França (no lugar de Eltinho), Rafael Silva (no lugar de Lincoln) e Renan Oliveira (no lugar de Marcel).

Eu só vi o primeiro tempo, totalmente dominado pelo Coritiba. Na verdade, o Atlético não é um time para jogar de igual para igual com o Coritiba, mas ofereceu muito perigo em algumas oportunidades. Pode-se dizer que o zero do placar só foi mantido por causa de três defesas sensacionais de Vanderlei, como se pode ver no vídeo com os melhores momentos da partida.

Considero muito positiva a volta de Marcel ao time. Venho reclamando constantemente de Everton Costa, Roberto e Anderson Aquino. Os atacantes do Coritiba estão abaixo da média, e vêm desperdiçando gols preciosos, além de não incomodarem as defesas adversárias. Marcel teve grande categoria em concluir no tiro livre indireto que deu o segundo gol ao Coritiba – outro jogador teria carimbado a barreira.

Rafinha também voltou a jogar depois de longo tempo parado por uma torção. Foi decisivo, como sempre, com grande velocidade, dribles e sobretudo ótimos passes e lançamentos. Sem dúvida volta a ser titular já para o segundo jogo da semifinal da Copa do Brasil.

Tcheco fez um golaço, com categoria. Partida digna de um grande craque que está se despedindo do futebol.

Principalmente, o jogo demonstrou que o Coritiba tem dois times para enfrentar a longa temporada. Chego a ficar em dúvida se o time que jogou não é melhor que o que enfrentou o São Paulo no meio da semana.

Então é isso – o negócio agora é concentração total para o jogo de quarta-feira contra o São Paulo.

P.S.: Vanderlei fez um grande jogo e está em destaque na Bola de Prata da Placar. Chico também tem destaque entre os volantes. Confira aqui.

Veja os últimos jogos do Coritiba:

Coritiba 2×0 Portuguesa: 3ª rodada do Campeonato Brasileiro 2012

Flamengo 3×1 Coritiba: 4ª rodada do Campeonato Brasileiro 2012

São Paulo 1×0 Coritiba: semifinal da Copa do Brasil 2012

Flamengo 3×1 Coritiba: 4ª rodada do Campeonato Brasileiro 2012

Emerson subindo para fazer o gol histórico

Foto do sítio do Coritiba.

O Coritiba foi ao Rio de Janeiro e a única coisa que trouxe de bom foi o recorde pessoal do zagueiro Emerson. O camisa 3 marcou pela 9ª vez este ano, e é um dos artilheiros do time na temporada. Somando-se aos 10 gols que marcou em 2011 (dá pra superar esta marca, não?) – Emerson se tornou o zagueiro que mais marcou gols com a camisa do Coritiba. São 19 ao todo, em pouco mais de um ano com a camisa do Coritiba. Com isso superou a marca anterior que era de Zambiazi, com 18 gols.

O time que Marcelo Oliveira levou a campo foi: Vanderlei; Ayrton, Demerson, Emerson e Lucas Mendes; Wiliam, Sérgio Manoel, Everton Ribeiro e Lincoln; Roberto e Everton Costa.

Dá pra dizer que esse é o melhor conjunto que o Coritiba pode escalar no momento. O único que teria lugar nesse time seria Rafinha, quando estiver em condições físicas de jogar. Por meu gosto, Marcel ainda é melhor com a 9 do que Everton Costa – mas o Coritiba precisa contratar ainda um atacante diferenciado para incomodar a zaga adversária. Parece incrível dizer isso, mas Bill está deixando saudades, apesar de todos os problemas que causava dentro e fora de campo. A grande dúvida é se Keirrison vai voltar a jogar em alto nível – ele seria a solução?

A história do jogo foi a seguinte:

O Coritiba tomou um sufoco nos minutos iniciais, quando o Flamengo fez 2×0. O primeiro gol, de Wagner Love, foi marcado em posição irregular. A única atitude da defesa do Coritiba foi fazer a linha de impedimento, um risco alto demais para se correr em um jogo, porque o auxiliar não teve a precisão milimétrica necessária para anotar o impedimento que nós telespectadores só tivemos certeza depois de vários replay. Depois de tomar os dois gols, o Coritiba se recompôs, dominou as ações e controlou o jogo. Ainda no primeiro tempo marcou um gol que indicava que a história do jogo podia mudar.

No segundo tempo o Coritiba voltou a campo com Chico no lugar de Sérgio Manoel e Robinho no lugar de Lincoln. Licoln saiu porque sua condição física não é boa para um gramado pesado como o de ontem – o jogo foi debaixo de uma chuva fina e insistente. Sérgio Manoel não jogou mal, mas também não foi brilhante. A entrada de Chico foi sua estreia no Coritiba, provavelmente um teste para um possível titular na posição de segundo volante. Jogou o suficiente para dar indícios de que pode ganhar a vaga. Robinho jogou bem – o time não perdeu qualidade com a saída de Lincoln.

Uma última alteração ainda foi processada no Coritiba, depois da metade do segundo tempo: Tcheco no lugar de Lucas Mendes. Apesar de ser o jogador mais experiente do elenco, Tcheco é também o mais esquentado. Ele sempre é visto reclamando da arbitragem, e isso foi motivo para o cartão amarelo que recebeu, numa falta em que tomou e que o adversário foi punido com cartão.

O Coritiba controlou o jogo durante todo o segundo tempo. O Flamengo praticamente não pegou na bola. Mas a principal chance do Coritiba foi desperdiçada por Everton Costa, que chutou pra fora após receber um ótimo lançamento. O tempo todo o Coritiba este mais próximo de fazer o segundo do que o Flamengo de fazer o terceiro. Mas o imponderável aconteceu: aos 45 minutos do segundo tempo o Flamengo fez o gol que definiu o placar.

Veja o vídeo com os melhores momentos da partida.

Os destaques do Coritiba:

  • Emerson, zagueirão artilheiro;
  • Vanderlei, autor de pelo menos duas defesas salvadoras;
  • Ayrton, que novamente jogou o fino da bola – teve um lance em que driblou três defensores e chutou a gol, acertando a trave;
  • Wiliam, ótimo na marcação, na condução de bola e no passe – talvez o melhor jogador do time hoje (coisa que já vinha sendo desde 2011)

Aliás, Wiliam mostrou que não é só um jogador inteligente na marcação e com a bola nos pés. Deu uma entrevista muito lúcida após o jogo, mostrando inteligência também nas suas análises. Afirmou que o Coritiba perdeu porque cedeu à pressão nos minutos iniciais, e porque perdeu as chances que teve de fazer o gol quando dominava a partida. Veja o vídeo.

O principal ponto negativo foi a ineficiência dos atacantes: Everton Costa e Roberto perderam diversas oportunidades muito boas de marcar gols.

Por enquanto, o Coritiba segue a sina de ser um visitante fraco – não trouxe nenhum ponto de suas viagens para fora de Curitiba neste Brasileirão.

 

Coritiba 2×0 Portuguesa: 3ª rodada do Campeonato Brasileiro 2012

Ayrton: comemorando com o treinador o primeiro gol no Brasileirão

A foto é de Daniel Castellano para a Gazeta do Povo.

O Coritiba tinha problemas para contar com Rafinha e Roberto, dois jogadores que, em condições normais, seriam titulares. Ambos estavam vetados pelo Departamento Médico.

Marcelo Oliveira escalou o seguinte time para começar o jogo: Vanderlei; Ayrton, Demerson, Emerson e Lucas Mendes; Wiliam, Sérgio Manoel, Robinho, Lincoln e Everton Ribeiro; Everton Costa.

O Coritiba não podia nem sonhar em não vencer. Com duas derrotas em dois jogos, estava na lanterna. E a Portuguesa é adversário fraco, cotado para ser lanterna do torneio.

Os detalhes a observar no time que entrou jogando:

Ayrton parece que ganhou a posição titular, que confirmou em campo fazendo um gol. Quando precisou ficar mais atrás, revelou  segurança defensiva (coisa que faltou a Jonas contra o Botafogo). Não me assusto se ele terminar o ano como melhor lateral direito do torneio. (A Bola de Prata da Placar deu a ele a maior nota do Coritiba – 6,5)

Wiliam voltou a jogar um jogo inteiro depois de muito tempo. Com ele como primeiro volante, tendo Sérgio Manoel logo à frente, o Coxa fica seguro na defesa e tem boa saída de bola. Titular absoluto na posição, e jogador que fez muita falta durante sua contusão.

Robinho entrou jogando, apesar ter acabado de chegar no Coritiba. Faz a torcida ficar pensando muita coisa sobre o grau de influência da L.A. Sports na escalação do Coritiba. Sim, porque se a contratação de Robinho já não fazia muito sentido no atual elenco do Coritiba (ele é melhor do que quem entre os que já estão no clube?) pior ainda começar como titular. Foi fraco, como não poderia deixar de ser – precisará se entrosar e tal.

Sem Roberto o time ficou praticamente sem atacante – Everton Costa ficou sozinho como homem de frente, e fez o segundo gol (também teve nota 6,5 pela Placar, que parece dar alguns pontos para quem faz gol).

Comentários gerais sobre o jogo:

O Coritiba dominou totalmente o primeiro tempo. Poderia até ter feito mais gols. A Portuguesa não conseguia jogar na frente, e tinha uma defesa bem fraca. No segundo tempo Geninho corrigiu o posicionamento da equipe passando do 4-4-2 para o 3-5-1. O time ficou mais seguro na defesa, equilibrou um pouco o jogo no meio de campo e passou a usar ofensivamente as laterais.

O Coritiba precisou segurar Ayrton e Lucas Mendes, e passou a jogar mais retraído, até por que estava vencendo. As principais jogadas eram explorando lançamentos em velocidade, e o Coritiba só não chegou ao gol porque o bandeirinha do lado de lá errou feio diversas vezes, assinalando impedimentos inexistentes.

A primeira vitória e os primeiros pontos são para comemorar. Mas o desempenho ainda não empolga. Tá certo que faltam jogadores importantes do elenco, mas nitidamente Marcelo Oliveira não escalou o melhor que tinha. A entrada de Gil no lugar de Robinho teve a função de puxar o time ainda mais pra trás. Renan Oliveira substituiu um Lincoln já cansado, e mostrou que devia ter jogado desde o início. Everton Ribeiro, em mais uma atuação apagada, foi substituído por Anderson Aquino – o que deixou o Coritiba com um a menos, porque parece que ele fugia da bola.

No jogo contra o Flamengo, na próxima rodada, o Coritiba tem a grande chance de derrubar Joel Santana, e somar pontos preciosos fora de casa. Sem Thiago Neves, Ronaldinho e Vanderlei Luxemburgo o time da Gávea é bem pior do que aquele que o Coritiba enfrentou de igual para igual ano passado.

Veja o vídeo com os melhores momentos do jogo.

Veja os jogos anteriores do Coritiba no Brasileirão:

Coritiba 2×3 Botafogo: 2ª rodada do Campeonato Brasileiro 2012

Internacional 2×0 Coritiba: 1ª rodada do Campeonato Brasileiro 2012

 

Coritiba 2×3 Botafogo: 2ª rodada do Campeonato Brasileiro 2012

Renan defendendo o que seria um gol de chaleira de Lincoln

Foto de Daniel Castellano para a Gazeta do Povo.

O Coritiba começou fando 1×0 em menos de 30 segundos de jogo. Eu vi desenhada uma nova goleada, como aqueles 5×0 do ano passado – na última vez em que o time da estrela veio ao Couto Pereira. Naquela ocasião o Botafogo disputava a primeira posição com o Corinthians. Depois de sofrer a goleada para o Coritiba, não se reergueu mais no torneio.

Para confirmar os meus sonhos de torcedor, minutos depois Lincoln quase marcou de novo, de chaleira. Renan, o goleiro reserva, fez a defesa da foto e impediu que a goleada se desenhasse.

Por outro lado, o Coritiba mostrou que não tinha marcação pelas laterais do campo. Nas jogadas pela direita e pela esquerda, os alas do Botafogo fizeram a festa e os 3 gols.

No ataque o Coritiba sentiu falta, e muito, de um camisa 9 de verdade. Que Everton Costa não serve para a coisa. Não sei porque deixar Marcel no banco se não tem ninguém melhor que ele para peitar a zaga adversária. E olhe que o Botafogo tinha goleiro e zaga reservas, sendo que um dos beques era um guri de 17 anos, estreante no profissional.

Isso só mostra as limitações do Coritiba no momento. Faltam laterais (ou ao menos não era hora de Jonas voltar a ser titular). Falta um atacante que resolva.

O time que entrou em campo foi: Vanderlei; Jonas, Demerson, Emerson e Lucas Mendes; Junior Urso, Sérgio Manoel, Lincoln e Everton Ribeiro.

Marcelo Oliveira substituiu no segundo tempo: Jonas por Ayrton (que foi melhor). Sérgio Manoel por Anderson Aquino – um erro, pois o Coritiba perdeu qualidade na saída de bola. Lincoln por Vinícius (o 10 estava cansado no segundo tempo, se arrastava em campo).

O Coritiba, ao contrário do Botafogo, foi relapso. Lucas Mendes foi péssimo na marcação. Jonas também. Júnior Urso também. Everton Ribeiro voltou a ser o jogador apagado de 2011. Everton Costa não jogou praticamente nada. Lincoln teve brilho curto, no primeiro tempo, enquanto o fôlego permitiu. Roberto foi o mais efetivo, mas sofreu com as faltas que o árbitro não marcava.

Um jogo para esquecer.

Mas o Botafogo foi brilhante, mostrando que um time cheio de desfalques pode ser uma ótima oportunidade para o pessoal que quer mostrar serviço.

Está ficando claro que o Coritiba hoje tem jogadores demais, com qualidade de menos. Depois que passarem os jogos decisivos na Copa do Brasil, será tarde demais para começar a pontuar no Brasileirão. Pontos que fizeram falta em 2009 e 2011 – outros momentos recentes em que a dedicação ao torneio de mata-matas fez o Coritiba agonizar no Brasileirão por causa dos pontos desperdiçados no início do torneio.

Veja aqui o vídeo do SPORTV com os melhores lances do jogo.

%d blogueiros gostam disto: