Coritiba 4×1 Paysandu: oitavas de final da Copa do Brasil 2012

A revelação do Coritiba em 2012 sofrendo seu segundo pênalti

Foto composta de montagem feita aqui no blog, a partir de imagens tiradas de uma galeria no sítio do Coritiba. Clique nela que amplia.

Esse garoto aí está em seu primeiro ano como profissional, ainda não jogou uma partida inteira e entrou só duas ou três vezes em campo. Entretanto já pode ser considerado o melhor jogador que o Coritiba tem em seu elenco. Rafael Silva pegou duas vezes na bola, nas duas foi muito efetivo e rápido em direção ao gol – e só podia ser parado com pênalti. Na primeira vez, anotado pelo árbitro, cobrado por Roberto e defendido pelo goleiro do Paysandu após catimba que lhe valeu cartão amarelo. Na segunda vez, a da foto acima, o goleiro tomou novamente o cartão, dessa vez tendo que ir para o chuveiro. Resultou no 4º gol do Coritiba apó cobrança do veterano Tcheco.

E o melhor de tudo: Rafael Silva é um craque de alta estirpe, e o Coritiba não precisa dele no momento. Quero dizer: há tempo para ele amadurecer, sem que se exija que salve o time em momentos difíceis. O negócio é esse mesmo – ele continuar entrando no segundo tempo, aprontando pra cima das defesas. Marcando um golzinho aqui, outro ali. 2012 Ainda não é o ano para ele entrar como titular. Ele tem tempo para isso, e o Coritiba não precisa apressar as coisas. Afinal, o neymar alvi-verde acabou de completar 20 anos de idade.

Saber o placar sem ter assistido o jogo pode dar a entender que o negócio foi fácil para o Coritiba. Não foi bem assim. O vídeo do SPORTV com os melhores momentos também sugere que o Coritiba realmente massacrou, com um golzinho isolado do Papão. Mas eu vi tudo, e o jogo merece uma narrativa mais elaborada.

Primeiro, o Coritiba se apresentou com vontade de jogar bola, controlar a partida e construir uma vantagem significativa para não se complicar em Belém. Dominou as ações, controlou a bola e fez boas jogadas, sem conseguir converter em perigos reais ao gol dos azuis e brancos.

Do lado do adversário, o Paysandu se defendia bem, e chegava com perigo ao ataque, mostrando que veio para jogar de igual para igual, e não foi à toa que eliminou o Sport.

Então o Coritiba mostrou porque foi o bicho papão de 2011, e porque continua forte em 2012: jogadas de velocidade, a destruição dos esquemas da defesa adversária e 3 gols na metade final do primeiro tempo. Primeiro numa jogada magistral de Everton Ribeiro, que pegou um rebote de bola saindo da defesa, quase perdeu, deixando os jogadores adversários naquele estado de sair em velocidade para um contra ataque, mas o camisa 11 esticou um pouquinho mais a perna, fez o passe e pegou todos com as calças na mão. Melhor para Anderson Aquino que teve só o trabalho de empurrar para dentro.

Minutinho depois, foi a vez de Roberto partir em velocidade e concluir, mesmo desquelibrado, tirando do goleiro. E outra vez o camisa 7 foi em velocidade, desta vez à linha de fundo, para colocar nos pés de Everton Ribeiro, autor do 3º gol.

Aí o jogo já estava liquidado, e foi assim o final do primeiro tempo.

Mas é bom lembrar, que há um segundo jogo marcado para Belém. E se o 3 a 0 complicava muito as coisas para o Paysandu, marcar um golzinho poderia reverter tudo e acender a chance de classificação.

Por isso o time de Belém voltou reorganizado, anulou o Coritiba e começou a chegar com facilidade ao ataque. Marcelo Oliveira sacou Anderson Aquino, que apesar do gol não jogou praticamente nada de futebol, coisa que vem acontecendo há várias partidas. Em seu lugar colocou Renan Oliveira para tentar compor o meio campo e ficar mais com a bola no pé. Mas ficou tudo na mesma, porque Renan Oliveira também não jogou futebol.

E o Papão chegou ao seu gol, que já estava maduro. Foi depois de um bate-rebate na área do Coritiba, quando Vanderlei fez uma defesa meio milagrosa.

Aí pareceu que a maionese ia desandar. O Paysandu assumiu o controle do jogo, e o Coritiba passou sufoco. As chances foram aparecendo, e o 3×2 foi uma realidade muito próxima, o que acabava tornando a espectativa do jogo de volta bem favorável ao time nortista.

Então o treinador do Coritiba postou dois jogadores ao lado do gramado, para entrarem: Rafael Silva, o guri da foto acima, cuja história no jogo já sabemos, e o volante Sérgio Manoel, recém chegado do Noroeste de Bauru. Imagino que o estreante com a camisa Coxa entraria no lugar de Tcheco, já desgastado e pouco efetivo, para tentar compor melhor o setor de contenção do meio campo, onde o Coritiba não controlava mais as ações.

No exato momento, Jonas contundiu-se na lateral do campo, o que obrigou Marcelo Oliveira a repensar as ações. Junior Urso foi para a lateral, Thceco ficou, e Sérgio Manoel entrou na posição de Junior Urso. Isso resultou em grande perda de qualidade para o Coritiba, porque Junior Urso como lateral foi um fiasco, e o Paysandu deitou e rolou pelo setor dele até o fim do jogo.

Só que na parte da frente a entrada de Rafael Silva no lugar de Lincoln (que desapareceu do jogo no segundo tempo) deram nova dinâmica ao Coritiba. O garoto sofreu os dois pênaltis, que resultaram no gol que definiu o placar, e na expulsão do goleiro que desfalca o time em Belém.

Ou seja, deu para a torcida sofrer um bocado, porque tinha hora que o 3×2 parecia mais real que um improvável 4×1.

É preciso que se diga que Vanderlei segurou a onda, com uma defesa dificílima, e foi ele que evitou o segundo gol do Papão após cabeçada no chão em cobrança de falta da entrada da área. Esse lance o vídeo do SPORTV não mostra.

Agora a coisa ficou mais tranquila para o jogo em Belém, e ninguém imagina que o Paysandu seja capaz de reverter uma situação dessas. Embora todo cuidado seja pouco. O importante é fazer gol lá, jogando seguro mas com ousadia.

Seja como for, o negócio é o seguinte: o Coritiba é, de novo, candidato sério ao título da Copa do Brasil. Esse ano espera-se que com mais tarimba em decisão, coisa que faltou ano passado na hora do “vamos ver” contra o Vasco.

Veja os últimos jogos do Coritiba:

Coritiba 4×2 Atlético: 10ª rodada do segundo turno do Campeonato Paranaense 2012

Operário 2×2 Coritiba: 9ª rodada do Campeonato Paranaense 2012

Coritiba 3×0 Asa: segunda fase da Copa do Brasil 2012

Anúncios

5 responses to this post.

  1. […] Além dos dois piás, que foram campeões da Dallas Cup com o Coritiba sub-19, outros jovens entraram pela primeira vez como titulares desde o início do jogo: Lucas Claro e Djair (que na verdade já jogaram algumas vezes), zagueiro e volante; Vinícius, meia que foi improvisado na lateral direita; Diego, zagueiro; Artur, volante; Emerson Santos, meia. E Rafael Silva, que já arrebentou no jogo contra o Paysandu. […]

    Responder

  2. […] Coritiba tinha uma vantagem considerável, depois de ter ganhado por 4×1 no Couto Pereira. Só precisava ficar seguro atrás, mas fez muito mais do que […]

    Responder

  3. […] Coritiba 4×1 Paysandu: oitavas de final da Copa do Brasil 2012 Viralize:FacebookTwitterMaisEmailGostar disso:GostoSeja o primeiro a gostar disso post. […]

    Responder

  4. […] Coritiba 4×1 Paysandu: oitavas de final da Copa do Brasil 2012 […]

    Responder

  5. […] No seu terceiro jogo como profissional, aqui no blog eu já cantava o garoto como o principal jovem talento que o Coritiba tinha. Pode parecer exagero os comentários que fiz à época, mas ele realmente arrebentou no 4×1 contra o Paysandu, pelas oitavas de final da Copa do Brasil 2012. […]

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: