Rio Branco 1×2 Coritiba: 7ª rodada do segundo turno do Campeonato Paranaense 2012

Emerson: decisivo novamente

Foto de Henry Milléo para a Gazeta do Povo.

O jogo foi duro. Tão duro quanto o empate no Couto Pereira, arrancado pelo Rio Branco no primeiro turno, que acabou custando o título do turno ao Coritiba.

Mas o Coritiba superou as dificuldades e voltou com vitória. Como o Londrina empatou em casa com o Toledo (caiu muito mais cedo do que seria de se imaginar), o Coritiba aproveitou para assumir a liderança do turno. A tabela está assim:

pontos vitórias saldo gols
Coritiba 18 6 8 14
Londrina 16 5 14 16
Atlético 16 5 13 17
Operário 13 4 3 10
Arapongas 12 4 -2 7

.

Faltando 4 rodadas, tudo segue indefinido. Mas o Coritiba só depende de si para vencer o turno, e garantir vaga numa final contra o Atlético. Do jeito que a coisa vai, o Atletiba da penúltima rodada soa como final antecipada, pois uma vitória do Atlético poderia significar o título antecipado (como o Coritiba fez em 2011).

Mas, como eu dizia acima, o jogo foi duro.

O Coritiba saiu na frente, com gol  de cabeça de Emerson, o zagueirão, escorando a bola cobrada do escanteio por Tcheco. Quando ele bate, é meio gol. Foi também dele a cobrança que resultou no segundo gol, desta vez escorada com o pé por Demerson, no primeiro pau, antecipando-se à zaga. Dois gols de zagueiro em bola parada mostram como o jogo foi difícil. Ainda mais se pensarmos que entre um e outro teve o gol do Rio Branco, em cobrança de falta: depois de uma difícil defesa de Vanderlei, o atacante dos vermelhos aproveitou o rebote e converteu. E olhe que não foi a única defesa difícil que Vanderlei teve que fazer. O time do litoral chegou a fazer sufoco sobre o alvi-verde em diversas oportunidades.

Na frente o Coritiba continuou sentindo falta de alguns titulares. Rafinha e Renan Oliveira estão vetados pelo Departamento Médico, e Roberto, que parece ter ganhado posição no time titular depois de jogar muito bem contra o Londrina, ficou derrubado por uma forte gripe. Isso abriu oportunidade para novos jogadores entrarem – além de mudanças táticas operadas por Marcelo Oliveira.

O treinador Coxa está mais ousado, entrando com time muito mais ofensivo. Desta vez a escalação inicial foi com Vanderlei, Jonas, Demerson, Emerson e Eltinho; Wiliam e Gil; Theco e Lincoln; Geraldo e Anderson Aquino.

Geraldo começou como titular pela primeira vez, aproveitando a gripe de Roberto. Jogou menos do que quando entra no segundo tempo. E Anderson Aquino ficou de novo isolado na frente, sem pegar na bola o jogo inteiro.

Demerson ganhou posição no lugar de Pereira, o que acho justo. Já faz tempo que Pereira não tem futebol para ser o titular de uma zaga que está entre as melhores do país. Eltinho entrou no lugar de Lucas Mendes, que está bem abaixo do início da temporada. Mas Eltinho é um ala, não um lateral: vai bem à frente, mas não marca. Entretanto, não acertou nenhum cruzamento no jogo, e está bem abaixo da qualidade geral do elenco do Coritiba, como já tinha acontecido em 2011.

Lincoln jogou pouco – e quando isso acontece, o time vai muito mal, porque ele deveria ser a ligação entre meio e ataque. Saiu para a entrada de Everton Ribeiro, que melhorou o time. Jonas também saiu no segundo tempo, e Gil foi para a lateral, com a entrada de Rafael Silva no meio campo.  Na prática, a troca de um volante por um meia, que deu bom resultado. O piá, que já mostrou ótimo futebol na Copa São Paulo, estreou em jogo pelo profissional e não decepcionou. Fez mais do que praticamente todos do time tinham feito o jogo inteiro, partindo sempre em direção ao gol e realizando jogadas de perigo. Em uma delas, partiu para dentro da área e bateu cruzado, mas o goleiro desviou e a bola rebateu na trave.

Emerson Santos foi outro que entrou, substituindo Geraldo. Foi pouco tempo para mostrar serviço, mas parece um bom jogador.

A cada jogo que passa tenho a impressão de que a prioridade de Marcelo Oliveira é montar  um time com várias opções. O Coritiba já tem muitos jogadores que entraram como titulares este ano, e o treinador está sempre preocupado em criar mais uma opção.

Acho isso certo. O título paranaense é a disputa mais fácil que o Coritiba vai enfrentar este ano, que promete ser a temporada mais longa da história do clube em número de jogos. Isso significa que precisaremos ter mais do que 20 jogadores em condições de serem titulares. Parece que é com isso que Marcelo Oliveira está preocupado.

O título do paranaense provavelmente virá, mas não será tão fácil como foi em 2011. Em compensação, o restante da temporada pode ser menos irregular.

Anúncios

2 responses to this post.

  1. […] Rio Branco 1×2 Coritiba: 7ª rodada do segundo turno do Campeonato Paranaense 2012 […]

    Responder

  2. […] O primeiro jogo em que Rafael Silva entrou como profissional foi no 2×1 contra o Rio Branco, pela 7ª rodada do Paranaense 2012. […]

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: